terça-feira, 28 de outubro de 2014

Atualizando Conhecimentos!!

Depois de muito tempo sem atualizar, voltamos com muitas novidades. Aconteceu no Rio de Janeiro do dia 20-24 de outubro o Congresso Internacional da ICS (International Continence Society). Foi abordado assuntos como disfunções urinárias, fecais (criança e adulto), sexuais (adulto) e principalmente a importância do tratamento fisioterapêutico em uroginecologia/pélvica.



quinta-feira, 17 de abril de 2014

Você conhece alguém que perde XIXI?



Você já viu ou conhece alguém que precisa sempre estar por perto de um banheiro?
Você conhece alguém que se espirrar, tossir ou dar uma gargalhada, perde XiXi?
Você conhece alguém que ao fazer atividade física como fazer o jump (o famoso pular na cama elástica), correr perde urina?

Pois é, essa pessoa tem INCONTINÊNCIA URINÁRIA!!!

Perder xixi "não é normal" após o controle urinário adquirido na criança.

Isso tem tratamento, FISIOTERAPIA UROGINECOLÓGICA OU PÉLVICA.

O tratamento é simples, indolor e sem efeito colateral.
O melhor remédio é prevenir, mas quanto antes procurar ajuda melhor será a qualidade de vida!


terça-feira, 1 de abril de 2014

XIXI na cama, seu filho(a) faz??


Procure um urologista e um fisioterapeuta uroginecológico. O FISIOTERAPEUTA ESPECIALISTA tem como objetivo ensinar e melhorar o ato miccional conforme o tempo necessário e adequado.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Outubro Rosa



Prevenção contra o câncer de mama.
Vamos nos atentar há algumas dicas de como observar sinais de que algo está errado.




PREVENÇÃO, O MELHOR REMÉDIO!!!

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Vaginismo - Pode afetar sua Qualidade de Vida


     O vaginismo é um distúrbio da sexualidade feminina causada pela contração involuntária, recorrente ou persistente dos músculos do assoalho pélvico próximos a vagina quando é tentada, imaginada ou esperada algum tipo de penetração dificultando ou impedindo qualquer introdução vaginal. Essa dificuldade pode acontecer desde uma relação sexual ou até mesmo uma simples tentativa do uso de um absorvente interno ou exame ginecológico.
     Dito isso, as mulheres que sofrem dessa disfunção podem ter desejo sexual mas não conseguem concluir o ato pelo medo e/ou a dor.
     Há alguns fatores que podem desencadear essa disfunção na mulher, como:

  • tentativas de sexo sem prazer;
  • falta de orgasmo na relação;
  • fracasso na relação;
  • angustia;
  • sentimento de culpa;
  • educação religiosa;
  • sexo repressor;
  • abuso sexual;
  • estupro;
  • rasgadura perineal;
  • episiotomia (corte feito no parto);
  • cirurgia vaginal;
  • endometriose;
  • infecções vaginais.
     A tentativa forçada de uma penetração vaginal pode acarretar também numa piora no quadro e com isso acarretando em mais dor (dispareunia - dor na relação sexual). Podem desenvolver esse quadro mulheres de qualquer idade, etnia, condição social e intelectual.

Depois de todo esse relato venho dizer que essa disfunção, VAGINISMO, tem tratamento. Mas o que é esse tratamento??

O tratamento tem que ser multidisciplinar, ou seja, pra ser eficaz e ter sucesso no tratamento precisamos ter acompanhamento com o Ginecologista, Fisioterapeuta e Psicólogo.

- O Ginecologista vai avaliar e tratar a presença ou não de infecções vaginais.
- O Fisioterapeuta vai avaliar e tratar a parte muscular, períneo - responsável também pelo ato sexual.
- O Psicólogo vai avaliar e tratar o sentimento, o pensar que atrapalha o ato.

Vou descrever então o que seria esse tratamento Fisioterapêutico. Primeiramente temos que saber de todo histórico da paciente e em um segundo momento avaliar a parte muscular. Essa avaliação muscular é importante pra verificar a presença ou não de nodulos de tensão, cicatrizes, contração e relaxamento entre outros. A partir daí, e traçado o tratamento que podem ser:
- auto conhecimento do corpo, da sua intimidade;
- funções da região;
- massagem perineal;
- TENS - pra ajudar a minimizar a dor local;
- Biofeedback - ensinar e visualizar as contrações e relaxamento do músculo.

A Sexualidade faz parte da qualidade de vida e o tratamento tem que ser multidisciplinar.

Se você tem essa disfunção, procure tratamento o quanto antes. Quanto mais tempo mais o problema se agrava podendo afetar se dia-a-dia.